Notícias

Dia do Médico

Emoção na homenagem especial realizada pelo Cremesp aos médicos com 50 anos de profissão

Na noite de 17 de outubro, os médicos paulistas com 50 anos de profissão foram homenageados em solenidade no histórico Theatro Municipal de São Paulo.

Todos os médicos homenageados receberam um diploma de reconhecimento por sua atuação como profissional, com 50 anos ou mais de exercício da Medicina, além de um kit contendo, entre outras recordações, o livro Cremesp, uma Trajetória, que conta a história do Conselho Regional em seus 50 anos de existência.

Receberam também uma homenagem especial – uma placa de prata – os profissionais mais idosos entre os homenageados: Zid Albuquerque (CRM nº 70), de 98 anos, formado em 1932 pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; e Fanha Berta Stourdze Sbrigui (CRM nº 1699), de 92 anos, também formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Um buquê de flores foi entregue à médica Aida Bortolai Libonati (CRM nº 1111), uma das homenageadas, que fazia aniversário na data do evento (17).

A mesa da cerimônia foi composta pelo presidente do Cremesp, Desiré Carlos Callegari; pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab; pelo secretário da Saúde do Estado de São Paulo, Luiz Roberto Barradas Barata; e pelo representante dos médicos homenageados, Pedro Salomão José Kassab (pai do prefeito paulistano). Estavam presentes também o presidente da APM, Jorge Carlos Machado Curi; o presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo, Cid Carvalhaes; o presidente da Academia de Medicina de São Paulo, Luiz Fernando Franco; e o vereador Gilberto Natalini.

Após as solenidades, o Coral Paulistano, sob a regência da maestrina Mara Campos, apresentou trechos de O Messias, oratório de G. P. Haendel, cujo final Halleluja (Aleluia) coroou a homenagem feita pelo Cremesp, finalizando o evento com prolongados aplausos.

Algumas fotos marcantes do evento estão em Galeria de Imagens

Emoção e reconhecimento

Em seu discurso, o presidente do Cremesp, Desiré Callegari, expressou “o sentimento de orgulho diante desses médicos e médicas, o que vai muito além da longevidade da atuação profissional, da trajetória percorrida por cada um e da experiência de vida acumulada. São colegas que não só dedicaram e ainda dedicam suas vidas a serviço do ser humano, como pautaram sua atuação nos mais nobres princípios de respeito ao próximo, de dignidade e de ética.”

Roberto Barradas agradeceu “a cada um dos colegas de profissão que ajudaram os paulistas, o Estado de São Paulo e o governo do Estado a promover melhores condições de saúde para toda a população”, lembrando que o momento era muito especial: “esta é uma noite muito feliz: é a noite em que o Conselho Regional de Medicina completa seu jubileu de ouro; em que o secretário de Estado pode encontrar professores e colegas de profissão, e pode refletir mais uma vez sobre o maior ensinamento destes 30 anos de exercício da profissão médica: que os homens não foram capazes de inventar uma unidade monetária para pagar dívidas de gratidão.” E finalizou, emocionado: “Por isso, em nome de todos os paulistas lhes digo: que Deus lhes pague. Muito obrigado!”

Gilberto Kassab, após citar as autoridades presentes, prestou um tributo a todos os homenageados, na figura do médico que acompanhou o seu nascimento, o professor Bussamara Neme, presente à cerimônia. Saudou o Conselho por sua contribuição à Saúde no Estado e no município de São Paulo: “cumprimento todos os conselheiros do Cremesp, por meio do presidente Desiré Callegari, pela beleza da homenagem. Ao comemorar 50 anos de existência, o Conselho faz uma solenidade memorável, reconhecendo o talento, o trabalho e a importância desses médicos ao longo do exercício de sua profissão. A prefeitura de São Paulo se associa ao Conselho de Medicina para homenagear os senhores e as senhoras pela sua dedicação, pela sua história; e também aos seus familiares, pelo desprendimento com que compreenderam o trabalho médico. Deixo registrado publicamente a gratidão da cidade de São Paulo a suas valorosas atuações em favor do nosso município, exercendo com tanta dignidade a sua profissão”.

Pedro Salomão José Kassab, em seu discurso em homenagem aos profissionais presentes, lembrou que “a Medicina e o médico devem ser entendidos como valores universais, não restritos a referências de natureza material, ainda que científica, mas identificados com a solidariedade humana que inspira a vocação e a profissão, como vem ocorrendo ao longo dos séculos, independentemente de nacionalidades ou credos.”

O pai do prefeito paulistano se dirigiu aos médicos homenageados ressaltando a determinação, precoce e humanista, daqueles que optam por seguir a Medicina: “a raiz de nossas aspirações, cedo manifestadas, que nos levaram a professar a vocação, dela fazendo-nos portanto profissionais, no mais elevado sentido dessa palavra, o da profunda convicção que nos animou e transcende, largamente, o corolário da aplicação de conhecimentos para ter os meios necessários à subsistência. Assim decidimos, conscientes do perene desafio:  busca infindável de melhores resultados para os pacientes de cada instante, desejando ser merecedores de sua confiança; ter disposição para estudar, acompanhar a revelação de novas possibilidades e, mediante nosso próprio trabalho, colaborar para a formação dos pares e também contribuir para  a ampliação dos conhecimentos.”

Acompanhe, a seguir, trechos do discurso de Desiré Callegari, proferido na abertura da solenidade:

É com muita alegria e satisfação que o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo comemora hoje o Dia do Médico, antecipando a data oficial de amanhã, dia 18 de outubro.

No ano de seu cinqüentenário, o Cremesp decidiu homenagear todos os médicos da capital que têm 50 anos ou mais de exercício da Medicina. Aqui, hoje, reunimos colegas de diferentes especialidades médicas e campos de atuação, que atuam nos consultórios e clínicas; hospitais e laboratórios; na docência e na pesquisa; no sistema público e no setor privado.

O que nos une neste momento é o sentimento de orgulho diante desses médicos e médicas, o que vai muito além da longevidade da atuação profissional, da trajetória percorrida por cada um e da experiência de vida acumulada.

São colegas que não só dedicaram e ainda dedicam suas vidas a serviço do ser humano, como pautaram sua atuação nos mais nobres princípios de respeito ao próximo, de dignidade e de ética.

Há uma máxima que diz que “o Dia do Médico, 18 de outubro, merecia ser feriado”. Mas logo vem a conclusão: “se bem que os médicos acabariam fazendo plantão de qualquer jeito…”

Nossa profissão, como sabemos, é marcada pela abnegação, pelo empenho e pela entrega pessoal. A Medicina, na verdade, é mesmo uma paixão sem remédio.

Por isso, essa homenagem de hoje deve ser estendida também aos familiares dos médicos homenageados, que tantas vezes se desprenderam do próprio lar, se ausentaram em momentos importantes, para dar o máximo de si em suas atividades cotidianas e muitas vezes para dar a atenção devida aos pacientes, como se fossem seus próprios filhos.

Falando agora do Cremesp. Neste cinqüentenário do Conselho, não podíamos deixar de mencionar os esforços que temos empenhado para valorizar a profissão médica e para dar conta das nossas responsabilidades legais, de fiscalização do exercício ético-profissional e das condições de trabalho do médico.

Ao mesmo tempo, estamos empenhados em contribuir com a melhoria do ensino médico. Realizaremos este ano, pela segunda vez, o Exame do Cremesp, que avalia anualmente os estudantes do sexto ano de Medicina; sem deixar de lado a nossa luta permanente contra a abertura indiscriminada de novos cursos de Medicina no Estado, o que muito nos preocupa e nos deixa indignados.

Neste sentido, queremos também deixar uma mensagem aos jovens e futuros médicos: que tenham nesta homenagem hoje prestada, o referencial de dignidade, empenho, respeito e sobretudo de amor à profissão, que nossos colegas nos legaram.

No sentido de prevenir a crescente atuação de falsos médicos e criminosos iniciamos neste mês o recadastramento dos mais de 90 mil médicos no Estado, medida que visa proteger a população e os próprios médicos.

Também investimos em cursos de educação continuada e aprimoramento profissional; firmamos convênios e parcerias com várias instituições para acompanhamento das políticas e dos principais problemas de saúde; promovemos a divulgação da Bioética e a discussão dos principais dilemas éticos da atualidade.

Se por um lado temos o reconhecimento da sociedade – segundo pesquisas os médicos são os profissionais em quem a população mais confia – não temos sido valorizados à altura do quanto é essencial nossa profissão. Por isso, ao lado das demais entidades médicas, não nos cansamos de buscar uma remuneração digna para todos médicos, seja por parte dos planos de saúde ou do Sistema Único de Saúde.

Por fim reiteramos nossas sinceras homenagens aos mais de 300 médicos paulistanos com 50 anos ou mais de profissão, cujos nomes estamos tendo a satisfação de ver exibidos no telão. Gostaria de dizer o nome e dar um abraço fraterno em cada um de vocês. Diante desta impossibilidade, fica aqui o reconhecimento público, registrado no Diploma que foi entregue a cada homenageado. Farei agora a leitura do Diploma:

‘O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo tem a honra de conceder – ao ilustríssimo doutor e ilustríssima doutora – o Diploma de Dedicação Profissional, pelos relevantes serviços prestados ao povo paulista durante cinqüenta anos de trabalho, marcados pela dedicação e por princípios éticos que contribuíram para elevar o prestígio e a dignidade da prática médica’

Antes de darmos prosseguimento à cerimônia, gostaria ainda de agradecer a todos aqueles que se empenharam para que este evento pudesse acontecer, especialmente aos funcionários e conselheiros do Cremesp envolvidos, à Secretaria Municipal de Cultura e ao vereador Gilberto Natalini, que se colocaram desde o início à disposição.

Parabéns a todos. Muito obrigado.

Open chat
Precisa de Ajuda?